O que fazer em Manaus: “Praia de Açutuba ou “Um dia de caos em meio à natureza””

Depois de uma manhã um tanto quanto caótica de domingo, penso que eu, uma amante dessa amazônia-de-meu-deus, mereço um bom banho de rio para me acalmar, retomar minha paz interior, entrar em contato com a essência mais intensa da natureza, canalizar meu eu interior em contato com a água maravilhosa desse Rio Negro. Ao invés de seguir para casa, sigo para Iranduba (na maior facilidade usando a Ponte) em busca do eldorado: a famosa praia de Açutuba, que nos últimos dias tem sido centro de conversas e mais conversas entre meus conhecidos. Entendi muito bem o consenso de todos comentarem sobre o lugar: todos vão para lá!!

Simplesmente, depois de dirigir uma meia hora, lá estou eu diante não da praia, mas de um mundo de carros em meio à natureza deserta. Carro, carro, carro, manobrista, estacionamento pago, ônibus (dois! imensos!), motorista dando ré, um buzinando para o outro porque ia entrar na vaga, uma moto quase atropelando um pedestre. E então, lá no fundo, avisto o rio. Lá está o Rio Negro, imenso, todo cheio de banzeiro porque o tempo estava bem fechado. Impressionante. Insistente que sou, lá vou eu entre os carros tentando entender até onde iria aquele estacionamento e já que havia tanta gente voltando, devia haver alguma vaga. Ah, Paula… tão inocente…

Mais adiante, pior que o caos que eu vi nos primeiros metros, era o caos para fazer o retorno. Primeiro porque não havia espaço para fazer retorno, segundo porque a via estava totalmente tomada por carros estacionados e só havia mão para um único carro por vez. Mas quem avisa de quem é a vez? Ninguém, claro! Espera-se o caos instaurar-se para um ou outro motorista (quase todos de sunga, uma coisa!) descer do seu carro com seu corpinho de fora e ir lá na frente dar ordens para um e outro motorista dar ré e liberar a passagem. Eu, para o meu azar e o de todos, era a primeira da fila para iniciar o retorno e por isso todos os xingamentos e gritos e grunhidos vinham na minha direção, como se eu fosse a comandante do pelotão de retorno.

Enfim, estava calma e paciente, mesmo diante do fato de estar perdendo preciosas horas do meu domingo lindo de descanso. Parei o carro finalmente. Não me dei por vencida e fui até a beira-rio conhecer a bendita da praia e entender o motivo de juntar tanta gente ali.  Realmente a praia é linda, imensa, cheia de areia, com algumas árvores, água do Rio Negro. Mas boa mesmo só vai ficar às 5h da manhã de um sábado ou talvez às 7h de uma manhã de segunda feira. Melhor pensando, segunda não deve ficar boa porque a sujeira jogada no domingo ainda vai estar toda lá. Para mim, caos urbano e programa na natureza não combinam.

13 comentários em “O que fazer em Manaus: “Praia de Açutuba ou “Um dia de caos em meio à natureza””

  1. Oi Paula,

    É a primeira vez que posto um comentário no seu blog, apesar de já ter aparecido algumas vezes por aqui para me encantar um pouco com as belas fotos dessa terra, e com seus comentários sempre muito pertinentes.

    Hoje eu almocei com uma amiga que temos em comum, a Joice, que foi quem me indicou seu blog. Comentei com ela que pretendia conhecer a praia de Açutuba nos próximos dias… bom que agora já peguei algumas dicas contigo! ;)

    Da mesma forma que você, também pretendo aproveitar mais o fato de estarmos aqui, cercados de toda essa beleza natural. Estamos no meio da maior reserva florestal do mundo, e ainda assim vivemos vidas extremamente artificiais… muito concreto e asfalto, tendências consumistas, ambições profissionais e financeiras… e chegamos a nos iludir achando que a felicidade está nestas coisas. Mas de fato, não estão.

    Parabéns pelo excelente blog, pelas belas fotos, e pela enorme maturidade das suas colocações! A Joice está sempre falando de vc… espero que um dia nos conhecemos pessoalmente.

    Um abraço e um ótimo restinho de semana!!
    — David

    • Olá, David! A Joice também está sempre falando de você! =)) Fico feliz que esteja por aqui no blog, é um espaço que gosto muito de construir. Compartilhar o que sentimos é bom. Também tenho o “umnovoeu.worpress.com”, mas são visões mais filosóficas sobre alguns temas. Você está bem certo quando diz que a felicidade não está nessas coisas do mundo comercial, sinto muita vontade de ir me afastando cada vez mais dessa lógica. Sou muito feliz quando estou fora dela…! Grande abraço e pra você também bom restinho de semana!

  2. Oi Paula, também me sinto muito mais feliz na medida que me afasto de tudo isso. :) Fiz uma visita ao seu outro blog, um novo Eu.. que título bonito! Comecei lendo seu primeiro post, A voar… gostei muito! Deixei um comentário por lá. Um grande abraço, uma ótima sexta, e fique em paz!

  3. Desnecessário dizer que eu concordo com a sua opinião. Passei mesmo foi pra elogiar a qualidade do texto em sua capacidade de nos levar pra dentro da situação =).
    Beijos

  4. Olá, Professora.
    Açutuba é meu xodó. Meu cantinho predileto porque em 2008 participei de um evento maravilhoso. Inesquecível.

    Mas se a senhora um dia quiser voltar lá e sair com a mesma sensação, lhe recomendo procurar por Pousada Refúgio Paraíso, que se encontra logo após a Grande Família.

    A pousada é de um amigo que fiz em 2008, no evento Arawak. Lá é bem aconchegante e o atendimento condiz. Caso a senhora queira ir sem dirigir. Ele também oferece passeio de ônibus geralmente no último domingo do mês. Marca no Largo São Sebastião as 8h e leva de ônibus ida e volta. Ano passado o valor era de R$ 25,00 por pessoa (com lanchinho e almoço incluso).

    Espero que meu depoimento lhe desperte vontade em voltar lá.

    bitocas ;]

    • Talita, eu me disponho a ir em Açutuba de novo e ir mil vezes em vários banhos, mas não AGUENTO congestionamento no meio da SELVA!! Me leva para um lugar deserto, sem ninguém, só com água, areia e sol! E prefiro ir dirigindo, adoro essa parte! Vou pra essa pousada e você ficará feliz de ver o post por aqui! hihih

  5. Ola paula, sou um internauta passeando pelo seu blog. essa pousada refugio paraiso é da minha tia e lá voce não vai encontrar caos nem congestionamento, so um lugar paradisiaco, eu garanto.

    Cabaninha Franco

    • Agora o convite da Talita ficou super reforçado! Vou confiar que lá não encontrarei manobrista, flanelinha, pipoca à venda e vaga de estacionamento paga. Qualquer dia desses dormirei no refúgio!

  6. Ola.Querida Paula. Estive ontem acutuba; e muito bacana la.o problema e a questao(estacionamento).mas vale apena.kkkk bj

  7. Pingback: Para ver Iranduba se desenvolver | Manaus pra Mim

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: